Luigi Nero é uma pequena homenagem às mais chatas contactantes do Inov Contacto 10: as duas Martas (que vão para bem longe, Moçambique e Austrália) e a Ana (que vai para a Roménia). Foram elas que começaram a chamar-me Luigi Nero.

.posts recentes

. Onde estive nos últimos f...

. Simpsons à italiana!

. Dulce Pontes na Piazza de...

. Matera e Apúlia (2)

. Matera e Apúlia (1)

. Luigi Nero como Luis Prie...

. No metro!

. O outro Luigi Nero!

. Eu e Colin Edwards!

. Costa Amalfitana e Capri!

.arquivos

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

Quinta-feira, 1 de Março de 2007

Almoço à portuguesa!

Este post diz respeito ao dia 17 de Fevereiro (Sábado).

A convite do Monsenhor fui a um almoço para financiar a aquisição de um novo orgão para a igreja. 40 euros por um manjar à portuguesa. Pastéis de bacalhau e rissóis de camarão para entrada, sopa de abóbora, bacalhau de natas, salada, pudim de ovos e de pão. O suficiente para matar a saudade. Parece ser o mais dispensável, mas daquilo que tinha mais saudades era de sopa. A vontade que tenho de uma sopa de feijão, de sopa juliana, etc etc.

Tal como disse um dia destes, Fevereiro tem sido um mês chuvoso. E ainda mais durante o fim-de-semana. Faz-me lembrar um estudo que foi feito no Porto. Chegou-se à conclusão que o dia da semana em que mais chove é precisamente o sábado. E para meu azar assim parece que em Roma também. Por isso, o meu turismo tem sido muito limitado. E como já conhecia uma boa parte dos principais monumentos, ainda pior.

Como tínhamos o concerto à noite, eu e o Rodrigo fomos jantar ao restaurante que nos foi “apresentado” pelo Monsenhor. Chegámos e pedimos mesa para dois. O empregado levou-nos para uma mesa perto da casa-de-banho. O Rodrigo de forma educada pediu para não ser ali, se havia mais mesas livres. O dito empregado não gostou muito. Pegou na toalha de papel, nos talheres e largou-as noutra mesa. E chamou-nos assim com um ar de “vá-la, satisfeitos?, turistas da treta,...”. Sentei-me. O Rodrigo todo lixado. Saímos, sem mais nada. Fomos à procura de outro.

Voltamos a encontrar os portugueses do dia anterior. Amena cavaqueira e risota. O Monsenhor apresentou-nos mais um estudante de Eramus. Fomos depois a um bar e estivemos por lá à conversa.

Tinham falado ao Rodrigo que havia uma festa de Carnaval num café brasileiro. Fomos até lá. Ficava bastante fora do centro. Um casal italo-espanhol deu-nos as indicações necessárias. Mal chegámos, telefonamos ao nosso contacto. A festa estava próxima do fim. Como não estávamos dispostos a gastar 10 euros, fomos embora.
publicado por luiginero às 22:37
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds