Luigi Nero é uma pequena homenagem às mais chatas contactantes do Inov Contacto 10: as duas Martas (que vão para bem longe, Moçambique e Austrália) e a Ana (que vai para a Roménia). Foram elas que começaram a chamar-me Luigi Nero.

.posts recentes

. Onde estive nos últimos f...

. Simpsons à italiana!

. Dulce Pontes na Piazza de...

. Matera e Apúlia (2)

. Matera e Apúlia (1)

. Luigi Nero como Luis Prie...

. No metro!

. O outro Luigi Nero!

. Eu e Colin Edwards!

. Costa Amalfitana e Capri!

.arquivos

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

Quarta-feira, 25 de Abril de 2007

O que deixo em Itália?

Posso não deixar uma namorada, um filho, um amigo, um emprego, um currículo, sei lá.

Mas posso dizer que já deixei um dente do ciso e talvez um pouco de juizo. Depois de dores e bochecha inchada, fui ao dentista. Depois de uma luta renhida, finalmente saiu.
publicado por luiginero às 17:13
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Firenze!!

Este post diz respeito ao dia  7 de Abril (Sábado)

Como tem sido normal os fim-de-semana sofrem sempre alterações. Este não deixou de ser assim. Tínhamos um plano jeitoso: ir a Perugia, Assis, Orvieto, Montepulciano, entre outros. Depois quando fomos ver o preço do aluguer de carros (já contando com seguro total) reduzimos o nosso fim-de-semana a uma viagem de sábado. Destino: Firenze ou Florença.

Florença prometia. Cidade do Renascimento, dos Medici e de obras de arte de Da Vinci e Michelangelo.

Ponto de partida: Termini para o comboio das 7 e pouco. São 3 horas de viagem. Parte da viagem a dormir, outra parte na conversa. A viagem de comboio é um verdadeiro teste aos ouvidos. A parte inicial (ou a primeira hora) é feita por túneis. Então é um entra e sai a bastante velocidade. Não percebo nada de engenharia, mas estes comboios não devem ter muita protecção contra a pressão, sei lá.

Chegados a Florença, iniciamos a nossa caminhada pela bela cidade. 1º Facto a registar: esta infestada de turistas. Não conseguimos entrar numa única igreja porque as filas eram enormes e nós só tínhamos um dia para visitar a cidade. Optamos então por caminhar nas belas ruas.

Junto ao Duomo, acho, está uma pequena feira. Onde se vende malas, lenços e outras quinquilharias tão ao gosto do sexo feminino. 2° facto de registo: uma boa parte das barraquinhas pertence a brasileiros. Porquê? Não faço ideia.

Ponte Vecchio
Florença

Estive um dia magnifico com sol e calor.

Duomo

Regressamos a Roma por volta das 23.
publicado por luiginero às 16:41
link do post | comentar | favorito

A Pascoa em Itália!

O que posso dizer da minha Pascoa por aqui?
  • na Sexta-feira Santa trabalhei, porque infelizmente não é feriado por aqui (sei que boa parte dos escritórios fecharam mas o meu não),
  • fui ver a Via Sacra junto ao Coliseu e vi pouquíssimo por causa da multidão (ouvi grande parte das 14 estações sentado no chão),
  • antes disto, fomos jantar 3 portugueses, uma mexicana e um alemão,
  • no Sábado fui a Florença,
  • no Domingo de manhã fiquei na sorna (nem sequer fui ver a benção do Papa e segundo me disseram a Praça de S. Pedro estava a abarrotar) e à tarde fui passear,
  • no Segunda-feira é feriado (feriado de Pasquetta) e fiquei na sorna de manhã e à tarde mais um volta pela cidade.
O que posso dizer da Páscoa dos italianos (ou dos Romanos)?
  • comem um bolo que se chama Colomba (pomba branca) e que não é mau de todo,
  • comem ovos de chocolates (que saudades das nossas amêndoas),
  • entrei numa igreja no sábado à noite à uma da matina e estava a ser realizada uma missa,
  • na Segunda-feira de Pasquetta saem todos para o campo e fazem piqueniques (foi o que a minha professora Stafania me disse).
E é isto...
publicado por luiginero às 16:33
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 16 de Abril de 2007

Génova nunca mais!

Este post diz respeito ao fim-de-semana de 16 a 18 de Março.

Durante a semana fomos acertando o passeio. Primeiro era Torino e os Alpes. Depois como o tempo parece que iria estar bom, ficou Génova e a zona de 5 Terre. Ando um pouco à boleia da malta de Furio Camilo nestas aventuras. Por mim, não há problema. Não vou agora, vou depois.

Preocupação principal era a que horas podia sair na 6ª. Falei com o Gilberto (o meu responsável de estágio) e pedi para sair entre as 4 e as 5. Sem problema. Depois falei com o Paulo Resende (um dos C10 de Frascati) e ele também queria ir. Então, tivemos que acertar horas para nos encontrarmos na Termini. Entretanto, sempre em contacto com Furio Camilo para saber como era com a logística: aluguer de carros e horas de saída. Primeiro, uma carrinha para 7. Depois 2 carros a gasóleo. Dois fiat grand punto. Fica mais barato.

Sair da KH, ir a casa, fazer a mochila e ir ter à Termini. Depois, já com o Paulo seguimos até Furio Camilo. O resto da malta já estava pronta. Colocar mochilas nos porta-bagagens e iniciar a primeira etapa e mais difícil: sair de Roma e sair em hora de ponta. Dividimo-nos nos carros: fiquei eu, o Paulo, a Teresa e a Lucy (uma rapariga brasileira que já conhecia). A Teresa ficou encarregue de nos guiar. Demoramos uma hora. O que mais impressionou foram os ziguezagues das scooters.

Roma tem uma espécie de circular e que até tem boa sinalização. Por isso foi fácil apanhar a autoestrada a caminho de Génova.

Após uma paragem numa estação de serviço (os restaurantes ficam numa espécie de edifício-viaduto que liga os dois lados da autoestrada), passei para volante. Mais um país a juntar ao currículo de condutor :) Ainda acabo como camionista. :P

Infelizmente não pude acelerar muito. O carro deles apitava sempre que ultrapassavam os 130. Por isso, tive que me conter.

Chegamos bastante tarde e não tínhamos nada marcado para dormir. Experimentámos a pousada da juventude. Demoramos bastante tempo a encontrá-la e depois estava cheia. Finalmente encontramos um hotel mais ou menos jeitoso. O preço foi negociado. 25 euros.

Depois a missão foi encontrar um local para estacionar. Muito difícil. Lá encontramos um junto à estação de comboios. Estacionamos. De manhã depois uma bela surpresa ou duas: multinhas de estacionamento.

Ainda nessa manhã, outro azar: o Duarte bateu num reboque. Para além de ter partido o farolim traseiro do reboque, raspou a pintura do punto. Primeiro, tivemos que desembolsar dinheiro para para o motorista comprar um novo. Depois, mal sabíamos do estalo que ainda havíamos de levar.

Continuamos o nosso passeio. Genova nunca mais :)

Fomos em direcção a Portofino. Lindíssimo. Chegamos ao final do dia. Uma paisagem fora de série. Depois para dormir, foi a mesma historia. Depois de muito procurar, lá encontramos um sitio barato e limpinho.

Algures perto de Génova Uma das 5 Terre

No dia seguinte, 5 Terre. Estradas estreitas, subidas e descidas constantes. Aproveitamos para tirar umas belas fotografias. Como guiava o carro que ia à frente, tentava ganhar espaço acelerando. De vez enquanto as filas já eram tão grandes que, felizmente para mim, quem ouvia as buzinadelas eram eles que vinham logo atrás.

Outra das 5 Terre 5 Terre

Em resumo, o fim-de-semana foi muito bom. Passeamos, vimos belas paisagens, bom convívio. Mas... saiu caro. Às multas, ao dinheiro para o farolim, juntou-se o valor da caução. Prefiro nem pensar nisso.
publicado por luiginero às 20:09
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds